segunda-feira, 7 de abril de 2014

UM LINDO POEMA PROCÊS

Bom dia,

vamos ler um bucadinho hoje?


AS MINEIRAS (CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE)

"O sotaque das mineiras deveria ser ilegal, imoral ou engordar, já que tudo que é bom, tem um desses horríveis efeitos colaterais, como é que o falar lindo e charmoso ficou de fora? Por que Deus, que sotaque! Mineira devia nascer com uma tarja preta avisando: Ouvi-la faz mal a saúde.


 Confesso: esse sotaque me desarma. Certa vez, quase propus casamento a uma mineira que me ligou por engano. Elas tem um ódio mortal das palavras completas, preferem, sabe-se lá por que abandoná-las no meio do caminho.
Os não-mineiros, ignorantes nas coisas de Minas, supõem, precipitada e levianamente, que os mineiros vivem

apenas de uais, trens e sôs. 
 
Mineira não fala que o sujeito é competente, ele é bom de serviço. Nunca usam o famosíssimo tudo bem. Sempre perguntam "Ce tá boa?" Pra mim, isso é pleonasmo, perguntar se uma mineira ta boa é desnecessário.
O verbo mexer, para as mineiras tem amplos significados, quer dizer por exemplo, trabalhar. Se lhe perguntarem: "Com o que q o ce mexe?", querem saber o seu oficio. Mineiras não dizem "apaixonado por". Dizem, sabe-se lá por que, "sou doida com ele" (ele, no caso, pode ser você, um carro, um cachorro). Elas vivem apaixonadas "com" alguma coisa. Também não gostam do verbo conseguir, aqui você nunca consegue nada, você não da conta. Que mineiras nunca acabam as palavras todo mundo sabe. 

 
E um tal de bunitim, fechadim, pititim. Não caia na besteira de esperar um "vamos" completo de uma mineira, vc não ouvirá nunca.
Preciso avisar a língua portuguesa que gosto muito dela, mas prefiro, com todo respeito, a mineira. Aqui certas regras não entram. O supermercado nunca tá lotado, sempre tá cheio de gente, não faz muitas compras, compra um tanto de coisa. Se, saindo do supermercado, a mineirinha vir um mendigo e ficar com pena, suspirará: Ai, gente, que dó. É provável que a essa altura o leitor já esteja apaixonado pelas mineiras.

 Mineiro não arruma briga, caça confusão.
Capaz... Se você propõe algo e ela diz: capaz!! Vocês já ouviram esse "capaz"? É lindo. Quer dizer o quê? Sei lá, quer dizer "ce acha que eu faço isso"? com algumas toneladas de ironia... E o "nem", já ouviu?? Completo ele fica: "Ahhh nemmmm!" Significa amigo, que a mineira não vai fazer o q vc propos de jeito nenhum.

Sou, não nego, suspeito. Minha inclinação é para perdoar, com louvor, os deslizes vocabulares das mineiras. Mineira não pergunta, vc não vai? A pergunta mineiramente falando e: "Ce não anima de ir?". O plural, então, é um problema. Um lindo problema, mas um problema. Se vc em conversa falar "Fui lá comprar umas coisas.", a mineira retrucara: " Ques coisa?" O plural dá um pulo, sai das coisas e vai para o que. A fórmula mineira é sintética. E diz tudo. Até o "tchau" em Minas é personalizado.
Ninguém diz tchau pura e simplesmente. Aqui se diz: "tchau procê", "tchau procês".  É útil deixar claro o destinatário do tchau. A conjugação dos verbos em Minas têm lá seus mistérios.... LINDOS mistérios."




13 comentários:

  1. Meire, querida

    Amei esse post. É bem assim mesmo, e também acho muito lindo!!!!!!

    Tive umas vizinhas mineiras, que falavam do jeito que voce descreveu, era uma delícia de conversar.

    beijo carinhoso e ótima semana

    Regina Célia

    ResponderExcluir
  2. Que lindo texto!

    E adoro sotaque mineiro, hehehe.

    Beijão!

    Piece of My Heart

    ResponderExcluir
  3. Pois êta , num é que este texto tem um cadinho de nós ? Este Drummond pra escrever "barbaridade" tinha que ser minero uai !
    Outro minero bom de serviço é o Guimarães Rosa, sou doida com êle viu ?
    Tchau procê. Bejim.
    Angela

    ResponderExcluir
  4. KKKKK cê tá boa?
    kkk , aqui é tu tá bem?
    tenha uma boa emana.
    bjs
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que lindo Meire, amei.
    BjoBjo;)
    Celina Alves
    Luxos e Luxos

    ResponderExcluir
  6. Oi Meire!
    Que bacana!
    Cada região com seu trejeitos, seu palavrear!
    Feliz semana para você!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Meyre querida, uai, cê tava falando de mim sô!!!!
    Que diabos foi esse lindo texto do Drummond que eu amo??!!
    Não sabia que existia esse mineirês tão forte pelas bandas de cá! Afinal tô mais perto do Rio do que de B.H!
    Mas é assim messssss!
    Brincadeiras a parte, quando fui morar no Rio, todo mundo mexia comigo por causa do sotaque e do jeito de pronunciar as palavras, é interessante! E que bom que Drummond amava as mineiras!!
    Grande beijo e amei o post!
    ótima semana amore!
    Cris

    ResponderExcluir
  8. Adorei Meire, cada região tem por vezes a sua maneira muito especial de falar.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  9. Que lindinho! Eu gosto do sotaque mineiro, acho interessante isso de abreviar as palavras hehe... E me lembra um pouco do nosso cearês, a gente também adora um "bonitim", "fechadim", 'pequenenim" e por ai vai :)
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  10. Adorei,Meire! O Brasil tem essas maravilhas!


    Beijos


    Donetzka

    ResponderExcluir
  11. Delicioso!Meire!

    beijim pro cê!

    ResponderExcluir
  12. Divertido poema...;característico deste
    povo querido e amado de
    Minas!

    Beijo grande Meire;tenha um bom fim de semana :)

    ResponderExcluir